Saltar o menu
Dossier

Psoríase

Uma doença crónica não contagiosa aqui explicada por dermatologistas. Conheça os tipos, as causas e os tratamentos. Leia ainda o testemunho de Dália Madruga e saiba se vale a pena procurar ajuda médica no estrangeiro

ver todos os artigos do dossier
Tratar a psoríase

Tratar a psoríase

A opinião de um dermatologista sobre as opções de tratamento existentes em Portugal e no estrangeiro

Que tratamentos existem no estrangeiro para tratar a psoríase? Será que vale a pena fazer a viagem?  E, em Portugal, que soluções existem e qual a sua eficácia?

Com a bagagem cheia de perguntas, partimos para a conversa com o dermatologista Fernando Guerra, que nos deu a sua opinião especializada sobre as vantagens e desvantagens de tratar a psoríase em Portugal ou num país estrangeiro.

Peixes da Turquia

É conhecido em todo o mundo o tratamento para a psoríase, uma doença crónica da pele, realizado nas Termas de Kandal, na Turquia, com recurso a pequenos peixes (garra-rufa) que comem as escamas da pele.

Também o Mar Morto foi procurado durante anos, por muitas pessoas, com o mesmo objectivo. Trata-se de «um mar elevado, o que significa que tem menos filtragem de atmosfera, havendo por isso mais raios UVB, maior densidade de sal e reflexo», conta Fernando Guerra, dermatologista.

Já em Cuba, são famosos os tratamentos feitos à base de melagenina, um estrato hidroalcoólico de placenta humana, seguido da aplicação de infravermelhos. «Começaram por ser usados em casos de vitiligo e depois estenderam-se ao tratamento de eczemas e Psoríase».

Em Portugal, o enxofre das águas sulfurosas das termas promove a melhoria de algumas doenças de pele, entre elas a Psoríase.

Veja na página seguinte: A opinião do dermatologista sobre os tratamentos realizados no estrangeiro

Enviar artigo por E-mail

A sua mensagem foi correctamente enviada

Ocorreram erros, verifique os campos a vermelho

Faltam 500 caracteres

Comentários


Artigos relacionados