Saltar o menu
Queimaduras solares

Queimaduras solares

Ao sol, todo o cuidado é pouco. Veja o que (não) deve fazer

As queimaduras solares graves na infância são fator de risco para o desenvolvimento de melanoma maligno na idade adulta.

É, por isso, fundamental preveni-las porque a exposição excessiva ao sol e aos raios solares é considerada a causa mais frequente de cancro da pele. 

Cerca de 90% dos casos desta doença tem a referida origem, afirma a Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia.

Como se definem as queimaduras solares

São a manifestação visível da resposta inflamatória desencadeada pela exposição excessiva da pele aos raios solares.

Os diferentes tipos de queimaduras

Podem ser queimaduras de primeiro grau, que se caracterizam por ser muito inflamatórias e não destruir as camadas profundas da pele. Provocam apenas descamação da epiderme, que volta a regenerar em algumas semanas sem deixar marcas.

Em determinados tipos de pele, também podem surgir queimaduras de segundo grau, que produzem danos significativos na epiderme e uma lesão ligeira da derme. A regeneração da pele começa aos 8-10 dias, sem deixar marcas.

Sintomas

Rubor, inchaço e dor. Quando as queimaduras são de segundo grau, também aparecem bolhas.

Veja na página seguinte: Como tratar

Enviar artigo por E-mail

A sua mensagem foi correctamente enviada

Ocorreram erros, verifique os campos a vermelho

Faltam 500 caracteres

Comentários


Artigos relacionados

publicidade
publicidade

Subscreva a nossa Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Vídeos

Rastreio do Cancro da Mama: E se desse positivo?

ver mais vídeos

Sangue nas fezes

Conheça as diversas razões possíveis

Bomba de insulina é mais eficaz do que injeções no tratamento de diabetes tipo 2

Em todo o Mundo existem cerca de 20 milhões de pessoas com diabetes tipo 2

ver todos os artigos
ver mais vídeos