Saltar o menu
Riscos e recuperação após uma cesariana

Riscos e recuperação após uma cesariana

Quais são os riscos de uma cesariana? Quanto tempo precisa para recuperar? Descubra mais informações no artigo que se segue

O lado positivo de uma cesariana é que salva vidas, mas ainda assim é uma cirurgia que acarreta riscos e consequências.

Estes riscos podem dever-se à anestesia, hemorragias graves e consequente necessidade de transfusões sanguíneas, infecções, danos nos órgãos localizados perto do útero (como a bexiga), problemas de coagulação do sangue e o bloqueio de vasos sanguíneos nos pulmões com líquido amniótico, o que pode resultar na morte da mãe e/ou do bebé.

Um risco comum das cesarianas é dor crónica na zona onde foram feitas as incisões ou insensibilidade ao toque nas zonas acima ou abaixo das incisões. Surgem problemas em 10-20 por cento dos casos, que costumam ser geralmente complicações menores.

A cesariana acarreta um risco mais alto para os bebés devido à possibilidade de contracção de doenças quando comparada com partos normais. Os bebés nascidos através de cesariana são muitas vezes prematuros e, em muitos casos, também têm problemas respiratórios (o fluxo de ar que entra e sai dos pulmões está obstruído, o volume dos pulmões é reduzido, e não possuem a substância que reduz a tensão superficial dos pulmões e os ajuda a respirar).

Quanto tempo é necessário para recuperar depois de uma cesariana?

Se a cesariana for executada sem quaisquer complicações, as feridas no abdómen cicatrizam passados cinco a sete dias depois dos pontos exteriores serem removidos. Na primeira semana, as potenciais complicações são o desenvolvimento de infecções na zona das cicatrizes, contusões na cavidade abdominal e similares.

Se as feridas não cicatrizarem correctamente podem formar-se abcessos nos gânglios linfáticos. Os abcessos à superfície podem rebentar e libertar pus, mesmo que as feridas pareçam estar cicatrizadas. Se os abcessos não rebentarem sozinhos, terão que ser drenados cirurgicamente.

É aconselhável não esforçar os músculos abdominais durante as primeiras seis semanas. Em todo o caso, as mães que façam cesariana podem cuidar dos seus bebés da mesma maneira que as restantes mães.

As feridas cicatrizam normalmente passadas seis semanas, mas pode demorar mais tempo a sarar, variando de mulher para mulher. É inevitável ficar com cicatrizes depois de uma cesariana. Algumas mulheres apresentam cicatrizes praticamente invisíveis, enquanto outras ficam com cicatrizes mais espessas do que o normal, afectando o aspecto do abdómen.

Amamentar depois de uma cesariana não deverá ser problemático. Em regra, a cesariana é executada em circunstâncias específicas, tal como parto prematuro, caso a mãe ou o bebé estejam em risco de vida. Neste caso, a mãe e o bebé são separados depois do nascimento porque o bebé necessita de cuidados intensivos, que podem provocar ansiedade emocional na mãe.

Quaisquer potenciais problemas com a amamentação e com o refluxo de sucção do bebé são normalmente provocados por outros factores e não pelo nascimento em si. Os maiores obstáculos à amamentação são a ansiedade e o medo sentido pelas mães, que acham que não vão conseguir amamentar.

Veja na página seguinte: É possível ter um parto normal depois de uma cesariana?

Enviar artigo por E-mail

A sua mensagem foi correctamente enviada

Ocorreram erros, verifique os campos a vermelho

Faltam 500 caracteres

Comentários


Artigos relacionados

publicidade
publicidade

Subscreva a nossa Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Vídeos

Maternidade Alfredo da Costa

ver mais vídeos

Pénis circuncidado vs. não circuncidado: qual o melhor?

Descubra quais as diferenças entre um pénis circuncidado e um não circuncidado

Adesão de “60 a 70%” na greve dos enfermeiros do hospital de Santarém

Hospital anunciou autorização para contratar 17 enfermeiros, mas SEP diz que é insuficiente

ver todos os artigos