Saltar o menu
Melanoma ocular

Melanoma ocular

Uma das mais perigosas neoplasias do globo ocular

Trata-se de um tipo de neoplasia agressiva e potencialmente fatal que se desenvolve nos melanócitos, as células responsáveis pela produção de um pigmento normal, a melanina.

Este pigmento encontra-se presente, entre outras áreas do corpo, na íris, no corpo ciliar (um tecido responsável pela produção de humor aquoso) e na caróide (a camada intermédia entre a retina e a esclera). O melanoma ocular é maligno e pode estender-se a outras partes do corpo (metastização).

Esta é uma situação que costuma ocorrer em metade dos casos. De acordo com a Ocular Melanoma Foundation, cerca de 50% dos casos de melanoma ocular registam a propagação de células malignas a outras partes do corpo. Ainda não há certezas absolutas sobre as causas deste tipo de tumor, mais prevalente entre pessoas de pele clara e olhos azuis.

Sabe-se, contudo, que a doença surge quando ocorrem erros ao nível do ADN das células que fazem com que estas se multipliquem e cresçam descontroladamente. O melanoma ocular é também mais comum em indivíduos afetados pela síndrome do nevo displásico, caracterizada pelo aparecimento de muitas dezenas de sinais no corpo, de tamanho e forma anormais.

Sintomas

O melanoma ocular pode desenvolver-se sem provocar sintomas. Ainda assim, é possível que surjam sinais de alarme como o aparecimento de uma mancha escura na íris ou na esclera, a sensação de flashes anormais, mudanças na forma da pupila, alterações na visão ou mesmo a sua perda. Caso ocorram, é essencial procurar o médico oftalmologista com a maior brevidade possível.

Tratamento

Irá depender de fatores como a dimensão do tumor, a sua localização e o estado de saúde do doente. Entre os tratamentos disponíveis encontram-se vários tipos de cirurgia, que permitem remover a parte afetada (como a iridectomia, que visa a remoção de parte da íris) ou, se necessário, todo o globo ocular. Outra solução passa pelo recurso a técnicas de radioterapia (como a braquiterapia ou a teleterapia) que são usadas nos casos de melanoma ocular de pequena e média dimensão e que permitem, através de radiação, destruir as células cancerosas.

Existem também tratamentos laser, como a termoterapia transpupilar, em que se aplica calor marcado e localizado no pigmento da retina e coróide. Nos casos de melanomas oculares de pequena dimensão também se recorre, embora mais raramente, à crioterapia (tratamento à base de frio).

Veja na página seguinte: Como prevenir

Enviar artigo por E-mail

A sua mensagem foi correctamente enviada

Ocorreram erros, verifique os campos a vermelho

Faltam 500 caracteres

Comentários


Artigos relacionados

publicidade
publicidade

Subscreva a nossa Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Vídeos

Porque é que me calhou a mim?

ver mais vídeos

Limão

Anti-séptico, antibacteriano, anti-alérgico e anti-cancerígeno

Ginecologista condenada em Portimão a multa por homicídio por negligência

Arguida disse em tribunal que se tratou de um acidente

ver todos os artigos

Doenças

Veja o índice alfabético