Saltar o menu
Astenia

Astenia

Uma doença que afecta a capacidade de realizar as tarefas mais simples. Saiba como evitá-la

A astenia é caracterizada por uma sensação generalizada de debilidade e falta de vitalidade, que se sente tanto a nível físico como intelectual, e que afecta a capacidade de trabalhar ou realizar tarefas simples.

A astenia funcional pode ser provocada pelo stress, ansiedade ou por um estado depressivo. A astenia orgânica pode surgir quando se sofre de problemas cardíacos, pulmonares, infecções e/ou anemia.

Os principais sintomas são estado geral alterado, fadiga muscular, problemas de concentração e de sono, falhas de memória, perda da libido e/ou alterações do apetite. Esta falta de vitalidade não melhora com o descanso.

Tratamento

É recomendável alterar os hábitos prejudiciais (excesso de trabalho, falta de organização, entre outros) e, em alguns casos, pode ser necessária a psicoterapia e a prescrição de ansiolíticos ou antidepressivos.

Medidas a adoptar

Para combater a astenia é fundamental respeitar as horas de sono, realizar exercício físico moderado e seguir uma alimentação equilibrada (rica em frutas e verduras, sem esquecer as proteínas e as gorduras boas). Um suplemento vitamínico também pode ajudar.

Astenia primaveril


É aquela que afecta um maior número de pessoas e parece estar relacionada com a mudança de estação. Trata-se de uma astenia de carácter leve que remete ao fim de alguns dias e que não costuma precisar de tratamento.


A responsabilidade editorial desta informação é da revista

ABC da Saúde

Clique nas letras para ver a lista de tópicos por ordem alfabética

Enviar artigo por E-mail

A sua mensagem foi correctamente enviada

Ocorreram erros, verifique os campos a vermelho

Faltam 500 caracteres

Comentários


Artigos relacionados

publicidade
publicidade

Subscreva a nossa Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Vídeos

A importância dos hidratos de carbono

ver mais vídeos

Bolhas e queimaduras

Saiba como agir perante casos de emergência

Avanços na compreensão da doença de Parkinson abrem novas portas terapêuticas

Novo estudo foi liderado pelo português Tiago Fleming Outeiro

ver todos os artigos

Doenças

Veja o índice alfabético