Saltar o menu
Dossier

Defenda-se do cancro

O cancro é uma das doenças que mais mata em Portugal. Encontre neste guia, as melhores indicações para saber como se proteger dos vários tipos de cancro.

ver todos os artigos do dossier
Cancro do pulmão

Cancro do pulmão

Os sinais de alarme, fatores de risco e principais avanços da medicina para combater esta doença muitas vezes evitável

É a segunda causa de morte por doença oncológica em Portugal e continua a ter como principal fator de risco o tabaco.

Contudo, nem tudo são más notícias.

Deixar de fumar diminui significativamente o risco de aparecimento deste tumor e as terapêuticas de última geração são francamente promissoras, permitindo um controlo cada vez maior sobre a doença.

O cancro do pulmão é o tumor mais frequente entre os homens (embora se esteja a verificar uma estabilização no aparecimento de novos casos) e a sua ocorrência tem vindo a aumentar substancialmente entre as mulheres, já ultrapassando, em alguns países desenvolvidos, o cancro da mama, como causa de morte feminina. Em Portugal, são diagnosticados, anualmente, mais de três mil novos casos, dos quais mais de metade acabam por falecer em menos de um ano.

Regra geral, o cancro do pulmão inicia-se na parede dos brônquios, ou no próprio tecido pulmonar, razão pela qual a tosse, o aumento de expectoração, a expetoração com sangue ou a falta de ar, são os primeiros sinais com que este tipo de tumor se manifesta. Contudo, sintomas gerais como a perda de apetite, a perda de peso ou um cansaço persistente antecedem, por vezes, os sintomas respiratórios anteriormente mencionados e devem ser um alerta para consultar o médico.

«Existem também casos em que o tumor é diagnosticado por sinais de disseminação noutros órgãos, como as dores ósseas, o aparecimento de nódulos debaixo da pele ou mesmo sinais que simulam um AVC (leia-se uma trombose)», explica José Duro da Costa, diretor do serviço de Pneumologia do IPO de Lisboa. «Mais raramente», prossegue, «é uma radiografia do tórax, realizada por outros motivos, que identifica o tumor».

Quanto ao perfil do paciente vulnerável a este tipo de tumor está muito bem definido e corresponde a indivíduo com mais de 50 anos e grande fumador. Na verdade, 90% dos doentes com cancro do pulmão, são grandes fumadores, existindo muito poucos tipos de cancro com uma relação causal tão evidente.

Veja na página seguinte: Lista de sinais de alarme a que deve estar atento

ABC da Saúde

Clique nas letras para ver a lista de tópicos por ordem alfabética

Enviar artigo por E-mail

A sua mensagem foi correctamente enviada

Ocorreram erros, verifique os campos a vermelho

Faltam 500 caracteres

Comentários


Artigos relacionados

publicidade
publicidade

Subscreva a nossa Newsletter

Subscreva a nossa newsletter

Vídeos

A importância dos hidratos de carbono

ver mais vídeos

15 regras para uma alimentação saudável

Adote comportamentos alimentares que protegem o organismo

Câmara de Óbidos comparticipa medicamentos de idosos e doentes crónicos

A medida conta este ano com uma verba de 30 mil euros

ver todos os artigos

Doenças

Veja o índice alfabético